FEP 03

FEP 3

a. Pesquise e apresente 3 desafios do setor de compras de uma empresa comercial.

Na pesquisa, foram consultados artigos do site da Tecnologística (www.tecnologistica.com.br). Entre os que foram lidos, em 15/07/15, destaca-se o Desafios da Função Compras nos Mercados Emergentes, o qual foi publicado em 08/08/11. As considerações a seguir se baseia na interpretação das informações obtidas, principalmente, nesse artigo.

Para responder à questão proposta, deve-se ter plena consciência de que o Setor de Compras das empresas está perdendo sua característica de um órgão apenas funcional e, junto com outras áreas associadas à Supply Chain Management, vem ganhando aspectos estratégicos que estão impactando na competitividade das organizações. Antes, esse setor era visto como uma área de suporte, burocrática e operacional. Hoje, para garantir a lucratividade das empresas, o Setor de Compras tem vários desafios e, entre eles, destacam-se os seguintes:

 

  1. o aumento da competitividade e a enorme pressão para redução dos custos. Quando se fala em aumentar os lucros, as empresas basicamente podem: ampliar o faturamento, aumentando os preços ou a quantidade vendida; reduzir os custos de aquisição dos insumos; reduzir os gastos gerais (pessoas, imóveis, despesas financeiras, etc.). Com o cenário atual, de forte competição nos pontos de venda, aumentos dos preços são difíceis, e elas já vem atuando com estruturas bastante enxutas. O que dificulta a redução dos custos gerais. Assim, um caminho de menor esforço é aumentar os ganhos, mediante a diminuição dos custos com compras. É nesse ponto que os profissionais de compras, utilizando técnicas de negociação, enfrentam desafios como a garantia da qualidade dos itens comprados, a manutenção de bons relacionamentos com as redes de fornecedores, planejamento de demandas, etc. Outro aspecto interessante, quando se menciona os custos associados às compras, é a questão dos níveis de estoques. Além do mais, cabe a esse setor a tarefa de equilibrar a quantidade de materiais a sempre comprados para que os demais departamentos da empresa encontrem-se satisfeitos;
  2. a qualidade dos produtos comprados e, nesse ponto, a área de compras exerce um papel ativo para o atendimento das necessidades das empresas, ou seja, para a garantia do fluxo contínuo de suprimentos de modo a atender aos programas de produção, sem as interrupções indesejadas. Para isso, há o grande desafio do Setor de Compras está em constante interação com as outras áreas, a fim de ser um dos determinantes dos tipos de materiais que serão adquiridos, evitando, por exemplo, que defeitos dos produtos cheguem aos clientes devido a problemas de qualidade nos insumos;
  3. o desenvolvimento de bons relacionamentos (parcerias) com fornecedores. Para atender a diversos objetivos, como previsibilidade e flexibilidade, há uma forte tendência de se construir canais de relacionamentos com os fornecedores, tratando-os como extensão da empresa ou do processo. A expectativa é que ao defender uma aliança de longo prazo, os ganhos venham na forma de confiança (qualidade e prazo de entrega), segurança e credibilidade. Assim, os fornecedores ficam abertos para novas exigências, pois entendem como funcionam os processos do cliente, sendo mais flexíveis.

b. Cite 3 vantagens do uso de uma plataforma tecnológica (sistema) para melhoria dos processos de compras de uma empresa.

 Com a utilização de sistemas avançados é possível que o profissional de compras tenha capacidade de:

  1. otimizar os processos de compras, melhorando o relacionamento com os fornecedores, proporcionando capacitação aos profissionais da área e a criação de sistemáticas de controle e avaliação; Automação do envio e feedback dos pedidos ao fornecedor, com planejamento automático de substituição do produto ou do fornecedor;
  2. redução de custos - melhoria na classificação dos materiais, padronização da descrição e critérios para cadastramento, aperfeiçoamento do inventário e do estoque e identificação do ponto de reposição;
  3. melhoria dos resultados - aferição do nível de serviço do fornecedor (prazo de entrega, qualidade dos produtos entregues). Implementação de workflow de recebimento onde o comprador é alertado sobre nota fiscal errada, em desacordo com o pedido, podendo cobrar dos compradores a aceitação de pedidos errados. Adoção de critérios de premiação, implementação de política de participação nos lucros. 

c. Qual o conceito de markup, na formação do preço de venda de um produto?

 Markup ou Mark Up é um índice aplicado sobre o custo de um produto ou serviço  para a formação do preço de venda, baseado na ideia de cost plus pricing ou preço margem; que consiste basicamente em somar-se ao custo unitário do produto ou serviço uma margem de lucro para obter-se o preço de venda.

 O preço deve ser suficiente para cobrir todos os custos, despesas e impostos e no final gerar um lucro na venda para manter a empresa ativa, desta forma podemos simplificar a estrutura do mark-up onde o preço e igual a somatória de todos os elementos inclusive o lucro desejado.

(+) Custos

(+) Despesas

(+) Impostos

(+) Lucro

(=) Preço de venda

d. Quais as diferenças entre preço médio, UEPS e PEPS na apuração do custo unitário de uma mercadoria em estoque? Como os mesmos podem ser utilizados, na prática?

Na determinação do custo unitário de uma mercadoria em estoque, o método do preço médio consiste na avaliação do estoque pelo valor médio de aquisição, apurado em cada entreda de material. Assim, ao ocorrer uma nova entrada no estoque, o preço médio muda.

O método do custo médio é vantajoso pois tente a estabilizar os preços que ocorrem em determinado período.

No método PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai), pressupoem-se que os fatores de custo fluem em ordem cronológica. Nessa lógica, o custo unitário das mercadorias é o valor de aquisição dos materiais comprados mais recentemente.

No método UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai), considera-se a ordem cronológica inversa. Assim, o custo dos materiais em estoque é o valor aquisição dos materiais mais antigos. Vale lembrar que esse método não é aceito para fins tributários e que provoca um efeito contábil inverso ao do PEPS, pois o custo tende a ser maior e, consequentemente, os lucros serão menores.

Esse método é utilizado quando o giro de estoques ocorre rapidamente, quando as oscilações normais de custo podem ser absorvidas no preço do produto ou quando se dispõe de materiais estocados em longo prazo. Usando essa metodologia, os estoques são mantidas em contas do ativo, com valores aproximados dos preços atuais do mercado.

O UEPS é o método recomendado em períodos inflacionais, pois uniformiza o preço dos produtos em estoque para venda.